RELIGIÃO AFRO ILÉ DE IEMANJA 
Sites Grátis no Comunidades.net Wordpress, Prestashop, Joomla e Drupal Grátis
Magia do povo cigano
Magia do povo cigano

 

Magia Cigana

A integração dos ciganos com a natureza é permanente, obrigatória sob um ponto de vista imprescindível sob outro. Dizemos que é obrigatória, pois com sua vida andarilha, suas caravanas muitas vezes viajando sem rumo absolutamente determinado, sua ânsia constante de viver de modo livre e aventureiro, onde mais montar suas barracas, arranjar seus acampamentos, arrumar suas bagagens pelo menos durante certo período de tempo, senão a céu aberto, dentro da natureza, tudo muito próximo a rios, cachoeiras ou outros remansos de água - doce, de que eles necessitam para cozinhar, lavar as roupas, se banharem. Por esses fatos e pelos conseqüentes de uma maneira de viver nômade, é bastante fácil compreender a obrigatoriedade do convívio entre os ciganos e a natureza. A natureza é a generosa doadora da própria sobrevivência cigana. “Nela o povo cigano busca os mais variados tipos de alimentos e água” Líquido precioso de sustentação da vida. E verdade, que quando passam pelas cidades, compram gêneros alimentícios, tecidos, ferramentas e outros bens necessários, mas a natureza que referenciam o principal apoio de vida. Todavia, o povo cigano não entende a natureza somente como a doadora dos elementos fundamentais como alimentos e água, mas como fonte inesgotável de energia. Aí começa o lado mágico da natureza cigana por assim dizer, o fundamento etéreo da vida, o lado abstrato muitas vezes não compreendido racionalmente pelos próprios ciganos. Eles entendem em vários aspectos, que a natureza é que fornece a vitalidade, o frescor da vida renovada a cada dia do ponto de vista da troca energética. Do céu, dos astros do firmamento, do Sol, da Lua em suas diferentes fases, desce a energia positiva de Deus, a força divina mantém o homem em pé, apto ao trabalho, às caminhadas, a geração de filhos e a todos os tipos de alegrias, sensações, emoções e sentimentos. A terra, o solo onde pisam propositalmente sem sapatos é a Mãe-Terra, que recebe sem recusas e sempre aberta a todas as energias negativas, os temores, as angústias de um povo tantas vezes perseguido, as tristezas e os desconsolos que maltratam a alma e o coração. A terra abençoada, que recebe sem reclamos os despojos daqueles que dormem nos braços da morte, transformando-os em formas de vida. Os ciganos não são politeístas. Adoram e veneram um só Deus, mas tal como vários povos que viveram e vivem em estreito contato com a natureza, vêem as naturais manifestações desta como divindades. Assimilam dos astros do céu, abençoam e pedem bênçãos à chuva, as águas dos rios, das cascatas, riachos, cachoeiras, às árvores das matas, respeitando os trovões, a força devastadora dos raios e o fogo, que aquece, protege e purifica. Os ciganos admiram os pássaros, as flores, os animais, toda a forma de (vida que brota da natureza, pois entendem que a todos é a maneira de Deus se revelar aos homens, sendo tratados, portanto com carinho e respeito. Eles compreendem que o ar é energia vital, o elemento vivificante da vida e oram para que as ventanias, tufões e vendavais não destruam seus acampamentos e seus lares-tendas. Existe idéia enganosa de que os ciganos temem as águas do mar, o que é uma perfeita bobagem. Eles singraram os mares nos tempos das colonizações, inclusive a brasileira, em caravelas e muitos deles viviam nestas embarcações como prisioneiros condenados, colocando a força de seus braços nos remos, que moviam estes barcos (para um cigano a prisão é a pior coisa em sua vida que possa existir, preferem morrer a ficar sem a liberdade que é o que mais prezam). A verdade é que as águas salgadas não tinham serventia para beber, cozinhar, lavar as roupas etc. então eles procuravam ficar sempre próximos a locais de água doce. Segundo seu conceito mágico da natureza, os ciganos reverenciam as águas do mar e as deidades que nelas habitam, pois muitos trabalhos de magia são feitos nas areias do mar, para os ciganos as águas salgadas têm a função de fazer a limpeza energética de todos os seres do planeta que nele habitam. Os ciganos respeitam e reverenciam os quatro elementos, terra, água, ar e fogo, cultuando os elementais ligados a estes elementos. Eles podem não chamar os elementais pelos nomes tão em voga atualmente (gnomos, duendes, fadas, sílfides, salamandras, ondinas, nereidas, sereias), mas admitem sua existência e importância. Sendo místicos do jeito que são, não deixariam de reconhecer nos elementos e nos elementais, uma força extraordinária, real e auxiliadora, tanto que nos seus trabalhos mágicos não deixam de pedir permissão a eles, para a manipulação das energias da natureza. O povo cigano também acredita em presságios e avisos provenientes da natureza e de seus elementos. Na verdade, eles são muito inteligentes a ponto de identificarem as mensagens oriundas das forças naturais e tomarem seus cuidados e prevenções. Eles são meteorologistas natos não necessitando de instrumentos ou outras sofisticações para saber quando vai chegar uma tempestade, uma nevasca, ou um sol de racha! Sabem reconhecer quando há água por perto, ou a viagem prosseguirá em terreno árido e seco. Pressentem os perigos das selvas, das matas pelos movimentos dos animais, pela revoada dos pássaros e outros sons peculiares da natureza. É sábio o povo que sabe ouvir a natureza, convivendo com ela pacífica e respeitosamente, e nisto o povo cigano é mestre. O convívio harmonioso, que de certa forma podemos dizer que um cigano é mais uma das manifestações da Mãe Natureza ou Natureza travestida na forma humana, sinônimos, mãe e filho, ou ainda, uma expressão mais abrangente, uma autêntica família. Por isso a Vida Cigana é mágica.

O QUE É MAGIA Magia é a manipulação de energias, é o ato de evocar poderes e mistérios divinos e colocá-los em ação, beneficiando-nos ou aos nossos semelhantes. A magia está no ato de colocarmos amor em tudo que fazemos, quando cozinhamos, falamos, costuramos, estudamos, trabalhamos etc. O objetivo de toda magia é a perfeição do ser. Embora isto possa não ser obtido em uma vida, é perfeitamente possível que melhoremos a nós mesmos. Este ato singular já faz com que a Terra se torne muito mais saudável. Se puser em prática qualquer magia, tenha em mente os mais elevados aspectos de seus trabalhos. Você está melhorando o mundo e ajudando a curá-lo das terríveis mazelas que sofreu por nossas mãos. É isso que torna o praticante da magia verdadeiramente divino.

 

Rituais do Povo Cigano

Magia Cigana A milenar tradição cigana tem símbolos e objetos utilizados para harmonizar, proteger, trazer sorte, amor, fartura e paz para você e sua casa.

O Nome na maçã

Pegue uma maçã e um pedacinho de papel branco. Escreva nesse papel o nome da pessoa amada. Faça um furo na maçã e coloque, nesse furo, o pedacinho de papel com o nome escrito. Feche esse buraco com mel e açúcar. Vá até um jardim público, coloque-se de costas e atire a maçã por sobre a cabeça.
Retire-se sem olhar para trás. Não retorne a esse lugar por sete dias.

Encantamento com fotografia

Pegue uma fotografia da pessoa amada, amarre uma fita vermelha horizontalmente, deixando as pontas pendentes. Prenda-a do lado de fora da porta da frente da sua casa, numa noite de lua cheia, após as nove horas da noite. Deixe até o dia seguinte, quando deve retirá-la e pô-la debaixo do travesseiro, até a pessoa voltar. (E ela volta!).

Para prender o coração de alguém

Costure um saquinho de veludo vermelho colocando dentro arruda, uma foto de seu amor e alecrim, de forma que a foto fique entre as duas plantas. Termine de fechar com linha, mas não dê nenhum nó no arremate. Simplesmente continue alinhavando ao redor do saquinho até a linha terminar. Nenhum pedaço deve sobrar nem ser jogado fora. Feito isso, introduza a agulha no interior do saquinho. Passe a carregar consigo esse talismã e sempre nas sextas-feiras de Lua Cheia, tente se aproximar dessa pessoa e conversar, mas sempre só após as nove horas da noite. Quando você conseguir o que pretende, enterre o saquinho perto de uma bonita árvore.

Receita Cigana de Banho para atrair o seu amor

Se você tem banheira, use-a. Se não, coloque em uma panela grande, contendo 2 litros de água. Coloque arruda, erva doce, açúcar cristal ,um ramo de amor agarradinho e uma gota de seu perfume usual na água aquecida sem ferver.
Após o seu banho normal, jogue a água sobre você (ou entre na banheira) mentalizando o seu amor. Acenda uma vela vermelha para o cigano Wladimir (protetor dos grandes amores).

Ritual de Nascimento

O cigano preserva muito a sua sorte. Existem várias crenças para mantê-la, da vida uterina até a morte. Diariamente a gestante cigana faz um ritual simples para que a criança ao nascer tenha sorte: ao avistar os primeiros raios de sol, passa a mão em sua barriga; da mesma forma, logo que vê os primeiros raios de luar, ela repete o gesto, desejando sorte e felicidade para o bebê. Esta é a forma dela saudar as forças da natureza e pedir-lhe as bênçãos de suas luzes para a vida que já existe em seu ventre. No sétimo dia após o nascimento da criança a mãe dá um banho no bebê, jogando moedas e jóias de ouro e pétalas de rosas em sua água, para que o filho ou filha conheça sempre a fartura , a prosperidade e a riqueza.

Para Tirar O Máximo Proveito De Uma Viagem Para garantir isso, sempre antes de sair fazem um brinde com vinho branco e mel. Quem fica deve beber metade da taça, simbolizando que o resto ficará para ser bebido na volta. E aquele que parte bebe metade e atira metade na terra, para pedir sorte.
Para O Sucesso De Uma Viagem De Negócios Em tudo que fizer durante a viagem, relacionado ao objetivo dela, quando precisar assinar seu nome, antes de mais nada, trace uma cruz no local a ser assinado, com a ponta da caneta, sem toar à superfície do papel.
Para Viajar Em Paz Se você vai mudar de residência ou viajar, verifique na parede onde fica a cabeceira de sua cama, se não está deixando ali nenhum prego torto ou parafuso mal colocado. Retire os pregos e fixe os parafusos, depois pode viajar em paz.
Para Afastar A Má Sorte Qualquer cigano que tenha um mínimo de conhecimento das tradições recusará, quando em viagem, qualquer prato que lhe seja servido que contenha pés de galinha ou de qualquer outra ave. Para os ciganos, a maneira como essas aves se alimentam, ciscando para trás, dá azar.
Encontrar O Amor Utilizada pelos casais para reforçar o amor e fortalecer a união. Após o casamento e no momento de sair em viagem de lua-de-mel, o homem presenteia sua esposa com um botão de cravo vermelho. Ela, em contrapartida, deve receber o botão com a mão esquerda e, com a direita, ofertar um botão de rosa vermelha ao homem.
Para Evitar Inimigos Para evitar inimigos, enterrar, diante do local onde se pretende ficar, um punhal com a ponta voltada para baixo.
Para Um Breve Regresso Assim que a pessoa partir, basta pegar a última xícara, último copo ou última caneca que ela usou e, sem lavá-la, virá-la de boca para baixo e deixar sobre um envelope de carta vazio e em branco.

Cores: É um amuleto muito fácil de fazer. Faça uma trança com três pedaços de fita colorida, cada um medindo 50 centímetros, nas cores amarela vermelha e azul. Em cada uma das pontas amarre uma moeda antiga furada naturalmente, ou outra envolvida num fio de cobre. A moeda pode ser substituída por búzios abertos. Prenda a fita entre os dedos indicador e médio da mão com a qual você escreve. Na outra mão, segure uma cópia da oração de São Bartolomeu e reze-a em voz alta. Faça um círculo com a trança de fitas e colo¬que uma vela vermelha acesa no centro, pedindo proteção para sua casa. Deixe a vela terminar e pendure atrás da porta de entrada ou da cozinha. Este amuleto ajuda também a atrair prosperidade e harmonia para o lar. Prosperidade: Os ciganos antigos costumavam prender um ramo de trigo verde com diversas fitas coloridas, como se fosse um arranjo, para pendurá-lo acima da porta do carroção, do lado de dentro. Esta magia, feita na Lua Crescente ou Nova, destina-se à fartura e à prosperidade. (O trigo pode ser substituído por ramos de arroz.

 

MAGIA PARA PROSPERIDADE

Oito folhas de alface Oito moedas de qualquer valor um travessa branca Azeite doce Mel

Como Fazer: Arrume as oito folhas e as moe¬das na travessa. Cubra com mel e azeite doce. Leve a magia até um jardim florido e entregue¬ aos Ciganos, pedindo ajuda para ter êxito em sua vida profissional. Deixe o local sem olhar para trás.

MAGIA PARA TER DINHEIRO Um copo novo (nunca usado) farinha de milho Mel Sete moedas qualquer valor atual um vela rosa

Como fazer: Coloque uma camada de farinha no fundo do copo. Sobre a farinha, derrame mel e coloque uma moeda, com o valor volta¬do para cima. Repita o procedimento, forman¬do camadas até acabarem as moedas. Acen¬da a vela rosa e peça ajuda a Cigana Esmeral¬da. Quando quiser despachar, faça-o em algum verde dentro do pátio.

MAGIA PARA TER DINHEIRO

Coloque em um copo com água, perfume, mel e várias moedas de qualquer valor atual. Acen-da uma vela rosa, pedindo ajuda ao Povo do Oriente. A cada semana, troque a água, des-pachando-a em algum verde no pátio. Não se esqueça de guardar as moedas para repetir a magia.

Manrô romanô
O pão que é servido nesta ocasião , quase não tem fermento. A massa é escura , produto do trigo integral, sem mistura.
Se você fizer treze pãezinhos vai precisar de
150ml de leite 250g de trigo integral 100g de manteiga 50g de açúcar mascavo um colher de sobremesa de sal dois colheres de fermento em pó duas gemas para pincelar um xícara de café de açúcar para polvilhar sobre a gema.
Preparo:
Coloque todos os ingredientes numa vasilha e trabalhe a massa com as mãos, sem sovar. Reparta a massa em treze partes e coloque-as em uma assadeira untanda e polvilhada de farinha de trigo. Leve para assar em forno pré-aquecido, por 35 minutos, pelo menos.
O pão de Virgem Sara é consumido durante as slavas e um maior é colocado sobre a mesa para ser dividido por todos. O manrô ( pão ) redondo , que é furado no meio onde colocamos um punhado de sal junto com uma vela. Esse pão é posto em uma bandeja cheia de arroz cru , para chamar saúde e prosperidade e , ao término do almoço , ele é dividido entre os convidados pelos donos da casa , junto com essas palavras de bênção:
Thie avês thiailô lon , manrô tai sunakai ( Que você seja abençoado com o sal , com o pão e com o ouro ).

Esse Manjar é servido durante a slava de Sara Kali , no dia 24 de maio.
Leite de coco açúcar 1 fava de baunilha amido de milho e coco ralado Ameixas secas claras de ovos limão
Faz-se a receita , misturando os ingredientes e levando ao fogo brando para cozinhar, até que se faça um mingau consistente. Depois disso , colocar numa forma de pudim, deixar esfriar e levar à geladeira até endurecer totalmente. Quando desenformar , bater algumas claras em neve, acrescentando açúcar, caldo e raspa de limão branco. Cobrir todo o manjar e levar rapidamente ao forno pré-aquecido para dourar. Serve-se em seguida. Para oferenda pessoal você deve acrescentar as claras em neve, cobrir com pétalas de flores brancas e levar ao mar, ascendendo as velas de virgem Sara, Santa Maria Salomé e Santa Maria Jacobé. O manjar da oferenda deve ser recheado de pedidos de graça .

 
Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese


Rating: 2.9/5 (923 votos)




ONLINE
1




Partilhe este Site...

NAÇÃO

ORIXAS

 BARA

 OGUM

IANÇA

XANGO

 IBEJE

 ODE OTIM

 OBÁ

 OSSANHA

XAPANA

 OXUM

 IEMANJA

 OXALA

 UMBANDA

CABOCLOS PRETOS VELHOS COSMES

 FUNDAMENTOS

 OFERENDAS

 QUIMBANDA

 EXUS POMBA GIRAS

 RITUAIS

 OFERENDAS

 FUNDAMENTOS